27/07/20 08:00

Conquistas e melhorias estruturais consolidam histórico de luta e trabalho da Apcef/MS

capa_cicero.jpg

Na sétima edição da série em comemoração aos 35 anos de fundação da Apcef/MS, são apresentados os depoimentos dos ex-presidentes Cícero Roberto dos Santos e Nanci Pereira dos Santos.

Por quase dez anos na presidência da associação (2003-2006/2006-2009/ 2009-2012), Cícero Roberto dos Santos destaca as conquistas da categoria. Uma delas foi a adesão da Caixa Econômica Federal à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos bancários em 2006.

“Naquela época, a Caixa e o Banco do Brasil não assinavam o acordo coletivo. Os bancários dos bancos privados fechavam o acordo nacional e, às vezes, ficava nós e o Banco do Brasil em greve, e tinha vezes que ficávamos sozinhos. A partir de 2006, unificou, passou a ter uma convenção coletiva única, e o nosso ticket passou a ser igual da rede privada”, lembra o ex-presidente que também era diretor do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região durante parte do mandato na associação.

De acordo com Cícero, durante sua gestão, a Apcef/MS atuou junto ao sindicato nas questões relacionadas aos empregados da Caixa como Planos de Cargos e Salários, Plano de Previdência Complementar, Plano da Funcef, encaminhamentos da Campanha Salarial quanto à pauta específica da Caixa e participação nos encontros nacionais.

O ex-presidente relata que também enfrentou desafios administrativos provocados pela falta de reajuste salarial para os empregados da Caixa no período de 1994 a 2002.

“Não tinha recurso, o pessoal foi desfiliando devido ao arrocho salarial. Nossa associação chegou a ter uma assembleia em 2003 para dissolver, quase que acabou. Aí a gente fez um trabalho de recuperação, resgatar a confiança dos associados, a questão da luta sindical, dos interesses dos empregados da Caixa”, relembra.

Cícero conta que teve o apoio de toda a diretoria e da tesoureira Dulce Ribeiro para reorganizar as finanças. Após esse período, foi possível participar dos movimentos em defesa dos empregados da Caixa e também investir na estrutura.

interna1.jpginterna2.jpg

Em Campo Grande, foram construídos os quiosques, o ginásio, o campo, a guarita, os vestiários, além da conclusão dos apartamentos e a reforma do parquinho. Em Aquidauana, foi feita a aquisição da área onde hoje é o pesqueiro e a construção dos apartamentos.

“Conseguimos recurso com a Fenae. Na época, o presidente era o Pedro Eugênio, a gente mandava os projetos e ele se empenhava em ajudar, e também o Jair [Pedro Ferreira] que era diretor de finanças”, conta Cícero.

Também foram realizados eventos comemorativos como festas juninas e esportivos como campeonatos de futebol, biribol e vôlei.

 interna3.jpg interna4.jpg

Durante o mandato de Cícero Roberto, também ocorreram as tratativas de unificação com a unidade de Dourados, com várias reuniões que culminaram na formalização em 2013 na gestão de Nanci Pereira.

Para o ex-presidente, nesses 35 anos de fundação é preciso destacar a importância da associação para defesa dos empregados da Caixa. “As Apcefs têm uma história muito bonita, de luta. Tem o lazer e o esporte, e também o papel de representação dos empregados da Caixa, interagindo com o sindicato, para encaminhar demandas, ajudar, contribuir, cobrar”, avalia.

Unificação

Nanci Pereira dos Santos esteve na presidência da Apcef/MS por dois mandatos (2012-2015/2015-2018). Uma das conquistas de sua gestão foi a unificação com Dourados.

“Em Dourados, já existia uma estrutura com salão de festa e campo de futebol, uma área muito boa, mas os associados de lá tinham dificuldade para ampliar e também não se enquadravam no cenário nacional para poder usufruir de todos os benefícios que uma Apcef de braços dados com a Fenae podia oferecer. Na primeira visita, demos a eles as condições para que esse sonho pudesse se realizar e assumimos Dourados como subsede da Apcef/MS”, relata a ex-presidente.

Entre as obras realizadas em Dourados estão construção do muro, revitalização paisagística, quatro quiosques, área alambrada com piscina infantil e adulto, vestiários masculino e feminino e a estrutura para a instalação da sauna.

Em Campo Grande, foi feita a construção da pista de caminhada, campo de futebol e iluminação do campo maior, construção do muro em toda a sede e instalação de ar condicionado e frigobar nos apartamentos.

 interna05.jpg interna06.jpg

Na subsede de Aquidauana, foram construídos dois apartamentos equipados com ar condicionado, beliches, área de uso comum com varanda, cozinha e churrasqueira, além da aquisição de um barco.

A ex-presidente destaca ainda a realização dos Jogos Regionais da Fenae em Campo Grande e os resultados positivos nos Jogos Nacionais, com melhora significativa na pontuação geral.

“Nos jogos nacionais, fomos destaque entre os 15 primeiros colocados. Na cultura, levamos para o música Fenae 2013, em Belém do Pará, depois de longos anos sem participação, a música Jardim do Brasil, que obteve a classificação entre as 12 melhores, isso foi um grande incentivo, aumentando consideravelmente o número de participantes”, relembra Nanci, que também atuou na associação em outras gestões como suplente da diretoria executiva e vice-presidente.

As lutas e desafios constantes são lembrados como parte importante da evolução da associação nesses 35 anos de história. “A evolução que vimos através das lutas por direitos trabalhistas conquistados com muita garra e dedicação de cada empregado e com o apoio constante da Fenae, que sempre esteve presente”.

 interna07.jpg interna08.jpg

A ex-presidente também ressalta a necessidade da união da categoria e da participação junto à Apcef/MS. “Gostaria de deixar um recado para os empregados da Caixa para que se associem, pois os desafios são grandes e só vamos sobreviver a eles continuando a luta por direitos trabalhistas e sociais já conquistados a base de muitos sacrifícios de todos os empregados da Caixa”.

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS FOTOS

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR AS DIRETORIAS DA APCEF/MS NESSES 35 ANOS DE HISTÓRIA

Leia outras matérias da série de reportagens em comemoração aos 35 anos da Apcef/MS:

Dourados: Melhorias no clube e os caminhos para unificação

Anos 2000: Trabalho e resistência garantem manutenção da Apcef/MS

Dourados: Ex-presidentes relembram construção do clube

Década de 90: Expansão para o interior e defesa da Caixa

Década de 80: Protestos e eventos fortaleceram Apcef/MS nos primeiros anos de fundação

Fundação da Apcef/MS: O início de uma história de trabalho e valorização dos empregados da Caixa em MS

Por: Adriana Queiroz/Assessoria de Comunicação da Apcef/MS

Compartilhe