13/09/19 16:10

Diretores da Apcef/MS participam de palestra sobre números do Saúde Caixa

PALESTRA-SAUDE-CAIXA-CAPA.jpg

O presidente da Apcef/MS, Jadir Garcia, e os diretores Marileda Ourives de Souza, Moises Graciliano Arguello e Jânio Santana participaram da palestra com o coordenador da Repes/Campo Grande, Antônio de Pádua Junior, realizada nessa quinta-feira (12), no Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região.

Foram apresentadas aos empregados da CEF as receitas e despesas registradas ao longo dos 15 anos de Saúde Caixa e também expostos os custos por tipo de assistência oferecida. O coordenador da Repes/Campo Grande ainda apresentou os números de atendimentos do Saúde Caixa e os canais pelos quais os usuários podem fazer suas solicitações e terem acesso a informações sobre o plano de assistência de saúde. Os canais de comunicação são: 0800 095 60 94 ou www.centralsaudecaixa.com.br.

O representante da Caixa falou ainda sobre as reservas técnica e de contingência, previstas na Cláusula 32 do Acordo Coletivo 2018/2020, e que considerando as duas reservas, o acumulado do Saúde Caixa é superavitário, porém nos três últimos anos, desde 2016, o saldo tem apresentado déficit.

O modelo atual do Saúde Caixa é estabelecido pelo Acordo Coletivo 2018/2020, que é válido até 31 de agosto de 2020, quando um novo modelo vai ser discutido na mesa de negociação com o banco. “A transparência sempre foi uma reivindicação das entidades representativas. É importante a apresentação dos números do Saúde Caixa, porém qualquer alteração no plano de saúde precisa ser analisada e negociada com a categoria, teremos posição de manter esse direito, que é uma conquista de muitos anos”, explica o presidente da Apcef/MS, Jadir Garcia.

JADIR-GARCIA.jpg JANIO-SATANTA.jpg

“Vamos precisar de união da classe para poder discutir com a empresa sobre o que vai acontecer com o Saúde Caixa. A Apcef está sempre discutindo essa situação e esperamos que os colegas tomem ciência, comecem a participar, a discutir, porque só as entidades, sindicatos e Apcefs, sozinhos, não têm força. Tem que ter a participação de todos”, afirma o diretor da Apcef/MS, Jânio Santana.

Mudanças

Com base na alteração do estatuto da Caixa e nas resoluções nº 22 e 23 da CGPAR, o plano de saúde dos empregados da CEF está sobre ameaças. Recentemente, novos empregados foram contratados sem direito ao Saúde Caixa.

“Não pode ter essa diferenciação de empregados. Aqueles que estavam até 31/08/2018 e os novos contratados. Precisamos pensar na manutenção do Saúde Caixa numa condição que seja boa para todos os trabalhadores”, ressalta Jadir Garcia.

O presidente da Apcef/MS ainda esclarece que a tentativa de redução da assistência à saúde dos empregados faz parte de um contexto mais amplo de precarização das empresas públicas. 

“A Caixa deve desempenhar seu papel como banco público, atender bem a população e voltar a contratar novos empregados. Cada dia mais os empregados precisam do Saúde Caixa, inclusive muitos por problemas psicológicos causados pelas condições de trabalho, a pressão por resultados e condições precarizadas de trabalho. Precisamos defender a contratação de mais pessoal para ter melhoria nas condições de trabalho e manutenção do plano de saúde”, defende.

Após diversas mudanças nos nomes e modelos, o Saúde Caixa, como existe hoje, foi implementado em 1° de julho de 2004, através do Acordo Coletivo de Trabalho. O plano de saúde conta atualmente com 295.493 beneficiários, sendo 226.363 ativos, 62.973 aposentados, 6.157 pensionistas. Conforme o balanço apresentado, o Saúde Caixa realiza diariamente, em média, 28.944 mil exames, 4.334 consultas, 564 internações e 1.078 atendimentos de emergência.  

Por: Adriana Queiroz/Assessoria de Comunicação da Apcef-MS
Fotos: Reginaldo de Oliveira/Martins e Santos Comunicação

##CLIQUE AQUI E VEJA A GALERIA DE FOTOS##

Compartilhe